Abrir busca Fechar busca Botão de Menu
como economizar dinheiro

Como organizar seu orçamento de forma estratégica

Que atire a primeira pedra aquele que não precisou fazer um certo malabarismo para manter as despesas em ordem ao longo do mês. E muitas vezes, mesmo com muita criatividade, é difícil fazer as contas todas fecharem, não é mesmo? E tudo isso parece tão cansativo que às vezes você só gostaria que tivesse uma fórmula para evitar todo esse desgaste mensal. A fórmula existe, mas pra isso você precisa aprender como organizar seu orçamento de forma estratégica. E é exatamente isso que a gente te ensina a fazer aqui. Confira

Como fazer um orçamento? coloque tudo no papel

Tudo fica mais legal quando feito em conjunto, né? Se você mora com outras pessoas da família, converse com elas sobre as dívidas e mobilize todos para organizar o orçamento familiar. Baixe nosso modelo simples de orçamento para que você imprima e coloque tudo em ordem.

No orçamento você vai incluir:

  1. Receitas:  é tudo que você recebe, como salário, pensão, renda com bicos ou alugueis de todos os integrantes da família.
  2. Gastos: despesas básicas da casa, alimentação, transporte, gastos com saúde, educação e lazer.

Faça isso considerando a situação real do mês e a previsão, para cada item, do quanto irá gastar nos próximos três meses. Se você tem uma dívida de R$ 5.000,00, veja um exemplo de como se organizar.

Com as receitas e despesas em mãos, você pode ver se falta ou sobra dinheiro no fim do mês! Mesmo que não sobre é muito importante que você comece a criar uma reserva mesmo que tenha dívidas! O legal é reservar cerca de 5% de sua renda para imprevistos.

Com essa ideia na cabeça, caso você tenha dívidas,  você saberá o quanto a família ganha e gasta e quanto poderá dispor para negociar a quitação da dívida com o banco. Nesse caso, o valor de R$ 5.000 em dívidas poderá ser negociado para pagamento em 45 parcelas de R$ 110,00 no máximo, pois é o que a família tem disponível.

Baixe sua planilha gratuita

Veja dicas práticas de como fazer planejamento financeiro:

E como colocar meu planejamento financeiro em prática?

– Pegue seu orçamento mensal e marque todos os gastos que podem ser cortados ou reduzidos. Tente fazer uma estimativa de quanto poderá ser economizado nos próximos meses se todas as medidas forem implantadas pela família.

– Faça uma lista de ideias para gerar renda. Estime o valor dos ganhos se cada membro da família colocar em prática seus talentos e habilidades para fazer dinheiro.

– Pegue a lista de dívidas e organize da seguinte forma: no topo coloque os serviços essenciais como água, luz, gás. Logo abaixo, liste as dívidas dos juros mais altos, como cartões de crédito e cheque especial. Em seguida, organize as demais dívidas por credor. Assim você saberá quanto deve para cada instituição.

Envolva toda a família

Na ânsia de dar conta de tudo, as mães e os pais acabam bancando os gastos de filhos adultos que moram com eles. Diga não para essa situação: eles devem contribuir com as despesas da casa, além de assumir seus próprios gastos e decisões. Quando os pais fazem tudo pelos filhos, eles acabam convencidos de que não têm capacidade de resolver seus problemas sozinhos e se acomodam.

No caso das crianças e adolescentes, converse sobre a situação financeira da família e defina o valor que poderá ser gasto com lanches e mesadas, por exemplo. Esse limite é importante para você e para o futuro dos filhos, pois eles se sentirão úteis participando das decisões familiares e contribuindo para suas conquistas.

Aprender a dizer não para os filhos é uma lição fundamental, na qual todos ganham. Os pais, pois conseguem economizar para realizar seus próprios sonhos e até mesmo para melhorar as condições da família; e os filhos, pois desenvolvem autonomia e aprendem a importância de conquistar seus objetivos com seu próprio esforço, valorizando ainda mais suas realizações.

E de onde cortar no orçamento para economizar?

Uma vez que você tem seus gastos organizados é possível equilibrar seu orçamento de uma forma mais eficiente. Por exemplo, se a despesa com telefone estiver alta demais, você pode estudar um plano mais em conta e guardar um pouco mais mensalmente.

Muita gente acredita que seja mais fácil cortar os gastos com lazer, mas nem sempre esse raciocínio é eficaz. Você precisa ter em mente que o dinheiro que recebe mensalmente não deve ser usado apenas para pagar contas. É importante que você possa também ter um dinheirinho para ir ao cinema, jantar com amigos, passear com a família. O nosso bem-estar é importante e precisa fazer parte do nosso planejamento.

Em algumas situações pode ser muito mais interessante, por exemplo, buscar um aluguel mais barato e reduzir esse gasto, do que passar o mês sem passear para economizar dinheiro.

A forma como você vai ajustar suas despesas dentro dessa divisão vai depender do seu estilo de vida e de suas prioridades. O importante é que você consiga equilibrar as despesas dentro dessa ordem. Seu bolso agradece e sua qualidade de vida também!

Troque os serviços por mais em conta

Faça uma varredura nos serviços que contrata para eliminar duplicidade. Um caso bem comum é manter um serviço de provedor de internet junto com a conta do telefone fixo e, ao mesmo tempo, ter wi-fi. Ou pagar uma conta alta de telefone, com a cobrança de linha e do serviço de discagem. No caso da sua conta bancária também! Confira quais as opções mais baratas e evite taxas desnecessárias. Há opções mais em conta, basta pesquisar. O consumidor tem o direito de escolher o prestador de serviços.

Não tenha vergonha de pedir ajuda

Não fique constrangido de conversar com seus pais, irmãos e filhos sobre sua situação financeira. Isso acontece, principalmente, quando outras pessoas da família são bem-sucedidas e você está endividado. Considere que são justamente essas pessoas, por meio de sua experiência e recursos, que podem ajudar você a se reorganizar. Converse, explique o cenário, peça ajuda e demonstre seu comprometimento para resolver a situação. No caso dos filhos, tenha em mente que sua experiência pode ajudá-los a não cometer os mesmos erros no futuro.

Adote o método 50/30/20

Feito esse primeiro orçamento simples, depois você pode passar para formas de economizar mais inteligentes. É basicamente separar seus gastos em uma divisão bem simples mas muito eficiente. É divisão 50/30/20. Entenda

50% do dinheiro vai para suas despesas fixas: é tudo aquilo de que você não pode fugir como, aluguel, condomínio, prestação do carro, contas de água, energia, telefone, alimentação, entre outras. 30%, do dinheiro vai para as despesas variáveis:  Ou seja, tudo aquilo que você pode viver sem, mas que você gosta, como supérfluos e lazer.
20% do dinheiro vai para criar uma reserva e economizar: é sua parcela para investir no seu futuro, como pensando na sua aposentadoria, uma grande viagem ou a compra de um imóvel, por exemplo.

Veja também:

Como escolher a conta bancária certa e pagar menos taxas
O que é melhor crédito ou débito?
Quando vale a pena pegar empréstimo consignado?

Continuar lendo
Imagem do autor

Jornalista, apaixonada por educação financeira e curiosa por todas as formas de comunicação <3

ver artigos

Não encontrou o que procurava?
Deixe abaixo sua sugestão de pauta:

Ver comentários